Prefeitura investe na reforma de estradas da zona rural de Alagoinhas

Publicidade 2

A Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria de Agricultura (SEMAG), finalizou essa semana a recuperação do trecho que vai da Fazenda Vitória até Buracica. A obra beneficia principalmente as comunidades do entorno, já que as ladeiras de acesso a essas localidades foram entregues praticamente intransitáveis à gestão atual.

De acordo com o Secretário Geraldo Almeida, foi realizado o patrolamento e depositado um resíduo, a brita da Ferbasa, para a recuperação da estrada. Também foram utilizados carros pipa e rolos de compressão para melhorar as condições da via, que liga Alagoinhas a Teodoro Sampaio.

“A nossa estrada era péssima. No tempo que chovia, não passava carro. E Alagoinhas é a cidade que a gente tem todo apoio, né? Alguém passa mal, doente, ou quebra o braço, mulher para ter criança, então a estrada estava horrível. E agora está boa. Essa estrada é muito útil para a gente, porque o pessoal da roça trabalha, vende farinha, o pessoal da agricultura sai daqui final de semana para a cidade para ganhar o pão de cada dia, né? Agora essa estrada aqui está muito boa”, pontuou Marcelo Santiago Reis, coordenador de infraestrutura de Teodoro Sampaio.

Além do trecho, também foram reformados os percursos que ligam a região de Tucum ao Cambuí. No total, foram mais de 11 km de estradas rurais totalmente reformadas.“Agora a estrada está ótima, porque, na situação que estava, era impossível ficar. Mudou tudo. Está todo mundo contente. Desse tipo, fazia muitos anos que não se fazia uma obra.
Faziam um paliativo, mas não igual a isso. As pessoas dessa região necessitam dessa estrada todos os dias pra ir ao comércio, porque estudam e também para o escoamento da produção. Aqui, quase todos os moradores vendem farinha e têm que sair pra vender”, destacou a moradora Neuma Ramos Batista Santos, presidente da associação de Cambuí.

Segundo a moradora Sandra Barbosa da Cruz, o estado das vias dificultava o deslocamento na região. “Os ônibus circulavam, mas com dificuldade, por causa dos buracos. Alguns motoristas reclamavam. Agora melhorou bastante”, comentou.

Quem também ressaltou a melhoria de acesso à estrada foi Yolanda de Araújo Rocha, presidente da associação comunitária dos produtores rurais de Tocum. “A gente agradece ao prefeito Joaquim Neto, ao Secretário Geraldo Almeida e aos profissionais da Secretaria, porque o trabalho feito nessa estrada, que é uma estrada estadual, foi realmente muito bom. A estrada é de responsabilidade do estado, mas o município tem feito a parte dele. Essa estrada era praticamente intransitável. Agora, facilitou o acesso inclusive para os ônibus que circulam pela região”, afirmou.

De acordo com a SEMAG, a principal dificuldade da Secretaria, nas obras de recuperação, é conseguir material de qualidade para depositar e executar o trabalho nas vias. Com as obras finalizadas na última semana, pelo menos três localidades foram diretamente beneficiadas: Fazenda Tocum, Fazenda Vitória e Cambuí.

“Eu gostaria de agradecer ao Secretário. Os benefícios foram porque a estrada estava praticamente intransitável e agora está muito bom. O ônibus que passava aqui demorava uma hora e quinze, uma hora e vinte. Hoje em dia, o percurso é feito em 40 minutos”, enfatizou a moradora e presidente da associação Tânia Simões Guimarães.

Francisco Pinto de Souza, que trabalhou diretamente no andamento da obra e atua no ramo há mais de 25 anos, explicou o processo de reforma. “Nessas estradas, colocamos material extraído da própria terra e colocamos brita, para complementar o material. Os buracos eram o principal problema. Muitos buracos. Mudou muito. Eu posso até mandar umas fotos para você ver e anexar no depoimento o antes e o depois”, pontuou.

A Bahia detém 15% da agricultura familiar de todo o país e é o estado que possui o maior número de agricultores familiares do Brasil. O setor – que responde hoje por 7% do PIB baiano – conta com mais de 665 mil estabelecimentos rurais de trabalhadores responsáveis por 90% da mandioca plantada no estado.

Em Alagoinhas, o levantamento do censo de 2010 apontava uma população residente rural de 17.907 pessoas, e a SEMAG priorizou justamente fortalecer as comunidades e associações rurais para dar escoamento e incentivo a essa produção. Nesse sentido, segundo representantes da Secretaria, o processo de recuperação das estradas na zona rural foram imprescindíveis para evitar que se imobilizasse os agentes do campo devido à falta de estrutura para circulação nas vias.

A partir de agora, a Secretaria de Agricultura deve atender às demandas de recuperação de estradas de outras localidades. Geraldo Almeida garantiu que, após o cumprimento das obras emergenciais, deve voltar às reformas para fazer um trabalho de drenagem. “Estamos realizando um trabalho de atendimento às estradas como há muito tempo não se vê em Alagoinhas. Nosso planejamento de trabalho prevê o atendimento em blocos das regiões. Além da região de Camboatá, da Fazenda Vitória até Buracica e de Cambuí, atenderemos também a comunidade do Alto do Santo Antônio. A próxima região será a de Boa União, incluindo o Cangula. Após a primeira fase de reformas concluídas, voltaremos para fazer a drenagem”, afirmou o Secretário.

Deixe uma resposta