Mesmo com suspeita de febre amarela, Lacen não faz análise de micos encontrados mortos em Costa do Sauípe

Publicidade 2
micos encontrados mortos em Costa do Sauípe
Foto: Divulgação

Os três micos encontrados mortos em um condomínio em Costa do Sauípe, em Mata de São João, na Região Metropolitana de Salvador, e levados pela prefeitura do município para o Lacen-Laboratório Central de Saúde Pública da Bahia- não foram encaminhados para a Fiocruz, onde é feita a análise para confirmação ou descarte de febre amarela. A informação foi dada pela Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) ao BNews na tarde desta terça-feira (9) e contestada pela secretária de saúde de Mata de São João.

Segundo a Sesab, esse procedimento foi adotado pelo laboratório porque já havia confirmação de um caso em abril, e a probabilidade da circulação do vírus na localidade era alta. Assim, caberia à secretaria de saúde do município a vacinação da população que ainda não havia sido imunizada na época em que houve confirmação da doença em um dos animais.   

Já a secretaria de saúde de Mata de São João, Tatiana Rebouças, negou as informações da Sesab e disse que os animais foram enviados para análise e o Lacen ainda não emitiu um parecer. Tatiana ressaltou, ainda, que não houve orientação da Secretaria de Saúde do Estado para vacinação da população.

Na segunda-feira (8), após denúncia de moradores do condomínio Casas de Sauípe sobre a morte de aproximadamente 15 micos na localidade, desde o mês de setembro, a prefeitura de Mata de São João afirmou que já tinha encaminhado três micos para análise do Lacen, mas que ainda não tinham obtido retorno.

O medo dos moradores era que os animais estivessem infectados com a febre amarela e que a prefeitura estivesse segurando a informação por conta da alta temporada. “A gente não sabe se eles querem camuflar a informação. A gente fica preocupado de estarem com medo de perder a força do verão e não queiram divulgar”, explicou o morador. Com BNews

Deixe uma resposta