Bahia Destaque

Diretor-Geral da ADAB vai a Brasília e garante recursos para o fortalecimento da defesa agropecuária baiana

Gestão pública se faz com trabalho, uma equipe técnica qualificada e a vontade de retornar ao público-alvo a missão que foi dada ao gestor. E é assim que a nova direção da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (ADAB) tem atuado. Mais uma prova desse compromisso aconteceu na manhã dessa quinta-feira (30) com a ida do Diretor-geral, Paulo Cezar, à capital federal, Brasília. Lá, ele e representantes da agência se reuniram com o Secretário de Defesa Agropecuária, Luis Eduardo Rangel, no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), em busca de recursos para o fortalecimento da Defesa Agropecuária. 

Na pauta, a formalização de um termo aditivo ao convênio, registrado no SICONV nº 794625/2013, visando o apoio à reestruturação e implementação do Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária (SUASA). Este aditivo contemplara alteração no prazo de vigência, prorrogando para 30 de abril de 2019, bem como a inclusão dos novos valores que chegam a quase R$ 4,5 milhões referente ao repasse financeiro, e R$ 269 mil como valor da contrapartida distribuído nas metas e etapas conforme plano de trabalho.

Segundo o diretor-geral “muito satisfeito com essa prorrogação. Os valores estão garantidos para o exercício 2018 que tem por objetivo garantir o tempo necessário para a conclusão dos processos licitatórios de aquisição dos insumos e contratação de empresa especializada para execução do monitoramento e controle da Ceratitis capitata (Meta 7), além da necessidade da manutenção dos serviços de Defesa Agropecuária no Estado, sob pena da perda do status sanitário alcançado para diversas enfermidades e pragas dos vegetais, com sérios prejuízos para esse importante setor da economia nacional”, pontuou Paulo Cezar.

Ainda segundo ele “essa solicitação conta com total apoio e intervenção do Governador, Rui Costa, e do Senador, Roberto Muniz. Ambos compartilham da ideia de que se avançarmos com a defesa agropecuária geramos mais emprego e renda e, consequentemente, desenvolvimento para a Bahia”, finalizou. Também participaram da reunião os diretores de Defesa Sanitária Animal, Rui Leal; Administrativo e Financeiro, Bruno Almeida; Fiscal Estadual Agropecuário (DDSV), José Mario Carvalhal e o Fiscal Estadual Agropecuário (DDSA), Marcos Santos Prinz.

Esses investimentos vão colaborar no sentido de retardar a introdução de novas pragas e a manutenção do status de Área Livre da Mosca-da-Carambola, Monilíase do Cacaueiro, Mofo Azul do Tabaco e, do Huanglonbing – HLB (que segundo estimativas, podem causar prejuízo da ordem de R$ 2,2 bilhões na produção de citros).

Essa renovação é fundamental devido às demandas na área de sanidade animal, que são acrescidas a cada dia, devido a delegações de competência pelo MAPA para atuação em diversos programas, como os de prevenção e controle de Brucelose e Tuberculose, da Raiva dos Herbívoros, Sanidade Avícola, Sanidade dos Equídeos, Sanidade Aquática e de caprinos e Ovinos.

É válido ressaltar que a Bahia é pioneira na adesão ao Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal – SISBI, permitindo o escoamento da produção baiana para outros estados, sendo atualmente um dos oito no Brasil a ter este reconhecimento, demandando recursos financeiros para sua manutenção e ampliação.

Por fim, é importante ressaltar que o volume dos recursos financeiros solicitados acima consta no Plano de Trabalho proposto inicialmente e, devidamente discutido e aprovado pelo departamento de sanidade agropecuária – MAPA/BA.

Fonte: ASCOM – ADAB

Ultimas Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *