Bahia

CNA cobra governo sobre fazendas invadidas; Rui promete investigação

Foto: Divulgação

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) atribuiu a “organizações criminosas” a invasão contra fazendas no município de Correntina, no oeste da Bahia, na última quinta-feira (2), e cobrou dos governos federal e estadual “uma sinalização clara de que não compactuam com a violência no campo”.

Por meio de nota, a diretoria da CNA disse estar “estarrecida e indignada” com os episódios e cobrou “enérgicas medidas de investigação” por parte do Estado.

“Ações coordenadas de depredação e vandalismo, como as verificadas na Fazenda Igarashi, demandam elevado grau de planejamento, típico de organizações criminosas dotadas de comando centralizado e apoio logístico, cujos movimentos não podem passar despercebidos pelas forças de segurança e pelas agências de inteligência do Estado brasileiro”, afirmou a confederação.

A nota também é assinada pela Federação da Agricultura e Pecuária do Estado da Bahia (Faeb), a Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Fieb) e a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado da Bahia (Fecomércio).

Rui Costa – Em entrevista ao programa Linha de Frente, da TV Aratu, o governador da Bahia, Rui Costa (PT), disse que já determinou a investigação dos episódios, protagonizados, de acordo com ele, por “um bando”.

“Imediatamente mandei a polícia ir ao local, ao chegar lá encontraram um bando. Eu digo um bando porque ninguém ainda se posicionou como movimento social”, declarou o chefe do Executivo baiano.

“Já mandei a Polícia Civil fazer todo o processo de investigação porque quero identificar quem financiou e quem está por trás disso, de patrocinar essa destruição no oeste da Bahia”, acrescentou o governador.

Ultimas Notícias