Cadê o Shopping que viria para Alagoinhas

Muito estardalhaço, muita festa, muita pompa, coquetéis, entrevistas coletivas, apresentação de cinema num hotel da cidade, muita divulgação, e a segunda proposta de instalação de um shopping center em Alagoinhas deu xabu, como tantas outras propostas.

Assim como o shopping de Filadelfo não vingou como centro de compras e se transformou em centro de serviços, os dois famigerados shoppings anunciados nos dois últimos governos não passaram de falácias.

E se foi pra Serrinha se deu mal, pois as notícias que correm por aqui é que é um espaço de poucos negócios, empresas frustradas e trabalhadores idem. Alagoinhas, sua proximidade com Feira de Santana, Salvador e Aracaju talvez fique de fora da instalação de um equipamento desse porte.

Mas tem mercado, pois reúne compras, lazer e entretenimento. Só em pensar num complexo de cinemas, boliche, lojas amplas e arejadas, Praça de Alimentação e boas livrarias já dá saudade das cidades que possuem shoppings. A propósito, Salvador foi a primeira cidade do Brasil a ter um shopping, o Iguatemi.

Por Vanderley Soares

2 Comentários

  1. Minha salvador saudades, aqui em Alagoinhas não tem lazer para o fds , deveria ter um shopping sim.. primeiro q um dos benefícios seria q os imóveis comercial ficaria com preços bem mais acessível e mais pé não chão pq os preços são absurdos de caros aqui na cidade, que acaba nem oferecendo tanto lazer ou variedades ou opções de lojas para compras. E fora q shopping aqui iria valorizar ainda mais a cidade e turistas e iria com toda certeza trazer mais investidores para a cidade, sendo assim, um crescimento de empregos na cidade , que falta.

  2. A proximidade de Alagoinhas com Feira 80km, Salvador 110km e Aracaju uns 250km, quem vai viajar esse tanto só pra ir a um shopping? Isso desculpa pra boi dormir. Alagoinhas merece e tem porte pra um shopping center grande, somos um centro comercial regional, não é possível que tanto terreno as margens da 101 não tenha um disponível para o shopping?

Deixe uma resposta