Publicidade 3

Ministério Público, secretarias municipais, APLB, Conselho Municipal de Educação, gestores escolares e outros setores estiveram reunidos na manhã desta quinta-feira, 27, no Clube Acre para discutir a alocação dos recursos disponíveis pelo Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE).

“Desde o ano 2011, recursos do PDDE, referentes às 33 escolas que não possuíam Unidades Executoras e que foram desativadas em 2013, encontram-se inutilizados na conta do município e, desde então, contados rendimentos financeiros, somam mais de o valor de R$ 160 mil reais”, explicou o prefeito Elizio Simões .

“Diante das necessidades das escolas do município, a Prefeitura fará o rateio do valor em conta entre as 27 Unidades Executoras em atividade. Como  há restrição para a utilização dos recursos,  como a limitação para realização de obras de construção, 70% do valor será destinado à manutenção e reformas e 30% para aquisição de material de expediente”, elencou a secretaria de Educação Tatiane Cavalcante.

O PDDE tem por finalidade prestar assistência financeira, em caráter suplementar, às escolas públicas da educação básica e engloba várias ações, objetivando a melhoria da infraestrutura física e pedagógica das escolas e o reforço da autogestão escolar nos planos financeiro, administrativo e didático, contribuindo para elevar os índices de desempenho da educação básica.

O encontro foi uma orientação do Ministério Público para tornar transparentes a destinação da verba. Na oportunidade, alunos do projeto Nova Mais Educação da Escola Municipal José Rodrigues Simões Filho fizeram uma apresentação de Karatê.

COMPARTILHAR

Comentários

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui