Aumento de impostos é ‘queda de braço’ entre governo e Justiça, afirma Sindicombustíveis

Publicidade 2

A Justiça Federal suspendeu o aumento de impostos sobre combustíveis, mas a Advocacia-Geral da União (AGU) logo garantiu a suspensão da liminar, prevalecendo o decreto. Assim, por mais que os preços sejam independentes em todas as etapas de produção, a alta já reflete nos postos de combustíveis. “Nós somos contra esses aumentos absurdos na carga tributária, mas não participamos desse processo”, salienta José Augusto Costa, presidente do Sindicombustíveis.

Para ele, a situação “é uma queda de braço entre o governo federal e a Justiça Federal”. Costa comenta que a liminar que suspendeu o aumento “caiu” sem nunca ter entrado em vigor, já que no dia seguinte outra decisão judicial se sobrepôs, autorizando o reajuste da alíquota do PIS/Cofins sobre a gasolina, o diesel e o etanol.

O assunto, no entanto, não vai ser discutido no Encontro de Revendedores de Combustíveis da Bahia, que acontece nesta sexta-feira (28), na sedo do sindicato, no bairro do Costa Azul. “Nosso encontro de amanhã não é pra tratar desse assunto, ele foi marcado bem antes e nós vamos tratar de um assunto geral, do nosso mercado, dia-a-dia e não a respeito desse problema de preços”, adianta Costa.

As palestras vão abordar temas como o Projeto Sistema Solares; Boas Práticas na Gestão Financeira em Postos de Combustíveis; Portal de Negócios para Compra de Combustíveis; e Rumos da Política Nacional: reflexo no cenário baiano. (Bahia Notícias)

Deixe uma resposta