Homens são presos por estuprar quatro crianças na BA

Publicidade 2

Estão presos em Pau Brasil, no Sul do estado, quatro homens suspeitos de estuprar quatro crianças na cidade de Camacan. O crime foi descoberto depois que uma vizinha descobriu e fez denúncias na delegacia e no Conselho Tutelar do município. As vítimas têm 7, 8, 11 e 13 anos, são irmãs e vinham sendo abusadas constantemente havia cerca de três anos, de acordo com a investigação.

Os suspeitos foram identificados como Gutemberg Silva Marques, 41 anos, conhecido por Guta, José Antônio dos Santos, 61, o Tonhão, e os gêmeos Cosme e Damião Bandeira Castro, 51. Eles tiveram o pedido de prisão preventiva cumprido no final da manhã da última terça-feira (6) e foram encaminhados para a cidade vizinha, já que a delegacia de Camacan não possui carceragem.

Segundo Francesco Santana, delegado que está à frente do caso, Gutemberg é pai de três das vítimas e padrasto de uma quarta garota. Além de violentar sexualmente as meninas, ele permitia que os vizinhos e amigos fizessem o mesmo com as crianças.

Estão presos em Pau Brasil, no Sul do estado, quatro homens suspeitos de estuprar quatro crianças na cidade de Camacan. O crime foi descoberto depois que uma vizinha descobriu e fez denúncias na delegacia e no Conselho Tutelar do município. As vítimas têm 7, 8, 11 e 13 anos, são irmãs e vinham sendo abusadas constantemente havia cerca de três anos, de acordo com a investigação.

Os suspeitos foram identificados como Gutemberg Silva Marques, 41 anos, conhecido por Guta, José Antônio dos Santos, 61, o Tonhão, e os gêmeos Cosme e Damião Bandeira Castro, 51. Eles tiveram o pedido de prisão preventiva cumprido no final da manhã da última terça-feira (6) e foram encaminhados para a cidade vizinha, já que a delegacia de Camacan não possui carceragem.

Segundo Francesco Santana, delegado que está à frente do caso, Gutemberg é pai de três das vítimas e padrasto de uma quarta garota. Além de violentar sexualmente as meninas, ele permitia que os vizinhos e amigos fizessem o mesmo com as crianças. (correio da Bahia)

Deixe uma resposta