Bahia Cidades

Cidade de Caetité recebe Circuito Audiovisual – formação e produção

O ‘Circuito Audiovisual – formação e produção’ apresenta uma mostra de curtas metragens baianos e oficinas de realização audiovisual de baixo custo para toda comunidade Caetitense e região. Promovido pelo Coletivo Curta de Quinta, o circuito passará por praças e espaços de Caetité, território do alto sertão baiano, e segue durante todo o mês de maio, de 04/05 a 27/05, todas as quintas-feiras, às 19h, com exibições de curtas metragens e debate com os realizadores, e todas as sextas-feiras e sábados com as oficinas. No dia 1° de junho será a sessão especial com o resultado das aficinas.

Os espaços de exibição serão sempre a céu aberto, ocupando uma praça/parque, que permite interagir com os moradores do local, os convidados, com escolas próximas e os passantes despretensiosos. As atividades pretendem construir um cenário para o audiovisual a partir das sessões e oficinas do projeto, formando público e realizadores.

Com uma identidade regional valorizada, a curadoria do Circuito Audiovisual vai priorizar exibições de produtores baianos, impulsionando sua circulação e continuidade no circuito audiovisual alternativo. As produções baianas, que com diferentes objetivos, temáticas e linguagens, estão conquistando lugares em importantes editais e festivais no país, incentivando nossa platéia a aprofundar e qualificar os debates.

Neste Circuito terão filmes que vão retratar a realidade indígena do estado e as relações que os povos fazem com as tecnologias, como o filme ‘Transformação Etnodigital’, enriquecido com a presença de Jaborandy Tupinambá, após exibições. O filme ‘O Menino do 5’, vencedor de seis prêmios no 40º Festival de Gramado, contando com o diretor Wallace Nogueira na mostra e ainda como oficineiro das etapas de equipamentos, captura, fotografia e direção. O curta ‘O Poço’, de Denise Santos é destaque na mostra, pois retrata uma realidade bem próxima de Caetité, a luta do distrito de Maniaçu para ter água. Outro destaque é a ficção ‘Valei-me São Sebastião é o fim do mundo’, produzida com apoio da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura, contemplado pelo projeto Revelando os Brasis.

O Coletivo Curta de Quinta é um coletivo fundado por jovens mobilizadores sociais de Caetité, realizado com recursos doados por incentivadores. Se reúnem toda quinta-feira no Parque das Árvores, um espaço público da cidade. Funcionando desde outubro de 2013, o Curta de Quinta entende a comunicação como direito humano e por isso deve ser livre a sua manifestação em todas as sociedades.

O projeto tem apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, da Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), via Edital Setorial de Audiovisual 2016 – desenvolvimento e difusão. Em parceria com a Casa Anísio Teixeira e com o Museu do Alto Sertão (MASB), acontecerão às oficinas direcionadas para a formação de público e de novos realizadores audiovisuais, como forma de incentivar a produção local. O Circuito promoverá oficinas de realização de baixo custo (com equipamentos convencionais, incluindo o celular como registro e ilha de edição) para os interessados da comunidade.

A maior conquista do circuito será mostrar que é possível fazer cinema no interior, circular os filmes, contar com poucos recursos, ser reconhecido e profissionalmente atuante do audiovisual. Além de estimular à formação de platéia para curtas metragens, despertar os espectadores para o estudo do cinema. Desenvolvendo a prática de cineclubismo público, levando o cinema, as produções audiovisuais para a rua, para o centro/periferia da cidade. Trabalhando os espaços públicos como espaços privilegiados de acesso à cultura, arte e identidade.

Fundo de Cultura do Estado da Bahia (FCBA) – Criado em 2005 para incentivar e estimular as produções artístico-culturais baianas, o Fundo de Cultura é gerido pelas Secretarias da Cultura e da Fazenda. O mecanismo custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada. O FCBA está estruturado em 4 (quatro) linhas de apoio, modelo de referência para outros estados da federação: Ações Continuadas de Instituições Culturais sem fins lucrativos; Eventos Culturais Calendarizados; Mobilidade Artística e Cultural e Editais Setoriais. Para mais informações, acesse: www.cultura.ba.gov.br

 

Fonte: Assessoria de Comunicação – SecultBA

Ultimas Notícias